29 de junho de 2012

Top 10: Piores lugares para visitar

Aproveitando que estamos entrando em Julho - e com clima de férias -, resolvi postar sobre 10 lugares que não são aconselháveis para ir! 

A Grande Ilha de Lixo do Pacífico



Essa ilha é composta por um aglomerado de lixo que, devido a correntes marinhas, se acumulou em um lugar específico do oceano. Acredita-se que a ilha tenha o tamanho dos Estados Unidos, mas não se tem certeza!


Ilhas Izu

As Ilhas Izu são formadas por um conjunto de mais de 20 ilhas vulcânicas, sendo que apenas 9 delas são habitadas. O problema acontece justamente por causa dos vulcões, que espalham enxofre (que cheira a ovo podre), um gás que em nível elevado pode ser nocivo à saúde.


A porta do Inferno

O nome do local se deve ao cheiro forte de enxofre, uma vez que a área é rica nesse gás, em gás natural e em petróleo - e tal fato pode ser considerado uma das razões pela qual existe esse fogo permanente no local.

Jardim Venenoso de Alnwick


No meio desse jardim estaria uma ala específica: a das plantas mortais ,com mais de 100 espécies de plantas venenosas, as quais são cobertas de mitos e lendas, fatos científicos e histórias (é possível até encontrar plantas que dão origem à drogas, como a da Maconha e a da Cocaína). 

Minas de Asbestos




A exposição ao Asbestos pode causar câncer e diversas doenças e, por isso, foi banida sua comercialização e mineração na União Europeia. Tais minas ainda são localizadas no Canadá - e esse mineral é conhecido por ter grande capacidade de absorver o fogo e o som!

Ilha de Ramré


Tal ilha é formada principalmente por um pântano, infestado de mosquitos (transmissores de malária) e crocodilos. Durante a segunda Guerra mundial, houve uma batalha e somente 20 dos 1000 soldados designados para a luta sobreviveram.

Estradas Yungás


Essa estrada, localizada na Bolívia, contorna a cordilheira dos Andes - a 3 mil metros de altura - e não possui asfalto, mureta ou qualquer coisa que possa impedir a queda de um carro! E o pior de tudo: quase sempre tem neblina!

Vulcões de Lama (Azerbaijão)

São vulcões que, ao invés de expelir lava, expelem lama. Normalmente não são perigosos, mas os gases e as rochas fundidas podem ser expelidas a uma altura de 700 metros! O vulcões do Azerbaijão são os mais famosos exatamente pelo fato de estarem concentrados: 300 dentre os 700 no mundo estão lá.  

Zona de Alienação

Chernobyl foi o local onde ocorreu um dos maiores desastres radioativos do mundo. Como consequência, a cidade hoje é quase deserta: a população foi, em grande parte, removida e a parte infectada, onde permanecem resíduos de radiação, foi declarada uma zona de alienação. Confesso que, dentre os lugares da lista, esse eu iria querer conhecer!

Ilha da Queimada Grande

Nosso Brasil não podia faltar na lista. E, com ele, veio a Ilha da Queimada Grande. A ilha está lotada de jararacas ilhoa, uma espécie venenosa. O veneno dessa cobra pode matar uma pessoa em questão de minutos. Por causa disso, qualquer pesquisador que vá até a ilha deve estar acompanhado por um médico.

27 de junho de 2012

Acidente Nuclear de Chernobyl

Aqueles que acompanham o blog faz mais tempo, provavelmente devem se lembrar de um post de alguns anos atrás, sobre um acidente nuclear ocorrido aqui no Brasil (isso mesmo), em Goiânia. Aquele tinha sido um dos maiores ocorridos com radiação no planeta. Porém, nem se compara com o que aconteceu em 1986, em Chernobyl. 

Segue um documentário do Discovery Channel


Quando a Ucrânia era ainda era parte da União Soviética, construíram em Chernobyl uma usina.

Em 26 de Abril de 1986, porém, ocorreu um acidente nuclear: o reator central de Chernobyl começou a apresentar problemas técnicos, passando a liberar nuvens tóxicas e intoxicar pessoas, animais e o meio ambiente. Ironicamente, o incidente ocorreu durante um teste de segurança. O tanto de material radioativo liberado nessa ocasião foi 4 vezes maior do que o liberado pelas bombas de Hiroshima e Nagasaki.

A União Soviética tinha o intuito de esconder o acidente e, para isso, alguns funcionários construíram uma caixa sobre o reator, tentando isolar o material radioativo lá encontrado. Mesmo assim, não foi possível evitar a contaminação. E os outros países descobriram sobre o que aconteceu.

Muitas pessoas morreram, outras sofreram com a radiação e muita gente foi evacuada das redondezas. Até hoje vemos os efeitos do incidente, com crianças abandonadas, por terem nascido com deformações, adolescentes com altos índices de contaminação de urânio e, ainda, muitos com cancêr.


Mais fotos: [1]
Para saber mais: [1], [2], [3], [4]

24 de junho de 2012

O Gato Felix

Hoje resolvi falar de um personagem que esteve muito presente na minha infância: O Gato Felix! Uma das coisas que eu mais queria, quando pequena, era a sua bolsa (e pode ter certeza que a bolsa da Hermione foi baseada na do Gato Felix!).




Bom, esse gatinho foi criado em 1919 (isso mesmo, ele é velho assim!), mas ficou famoso alguns anos mais tarde, com sua primeira série, passada nos cinemas, entre as décadas de 20 e 30. Uma curiosidade no mínimo interessante: em 1928, Felix se tornou a primeira imagem a ser transmitida para uma televisão!

Depois, em 1960, resolveram retomar sua história, criando novos personagens e, finalmente, colocando a sacola mágico (que eu tanto queria) de Felix.

Essa bolsa mágico ajuda Felix a viver suas aventuras. Com ele, Felix consegue guardar muitos objetos - de todo tipo. Ao mesmo tempo, a sacola pode servir como seu meio de transporte, transformando-se em um barco ou avião!

Mas não é só de maravilhas que o saco traz para ele. Um malvado professor segue Felix para roubar dele, assim, sua bolsa mágica. Mesmo contando com dois capangas, o professor não consegue roubar o que quer: Felix tem muitos amigos e é muito perspicaz, impossibilitando qualquer tentativa, por melhor que fosse.


Acima está um episódio das grandes aventuras do gatinho. Confesso que, após assistir uns episódios agora, depois de anos, me decepcionei com a história. Acho que realmente devia idolatrar Felix para ter tamanha boa impressão dele até hoje!


Para saber mais: [1][2]; [3]

21 de junho de 2012

Shrek 4 - Para Sempre


O filme, lançado em 2010, lançou altas expectativas. Eu, pelo menos, esperava que ele desse uma continuação digna para o resto da série. No primeiro filme, vi algo diferente de tudo que imaginava. No segundo, me encantei com o Gato de Botas. O terceiro, que já não foi sucesso de crítica, me conquistou pela aventura vivida pelos personagens que tanto gosto! Porém, o quarto me decepcionou - e muito. 

Na história, Shrek, cansado de sua vida como rei de Tão, Tão Distante, volta a sonhar com sua vida no pântano. Quando seus filhos completam um ano, ele se descontrola e fala tudo oque não devia para Fiona. O que ele não esperava, então, acontece: o duende Rumpelstitskin, que viu tudo, lhe faz uma oferta irrecusável: Shrek voltaria a ser o ogro que era durante 24hs e, em troca, o duende poderá apagar um dia da vida do ogro.

Porém, diferente daquilo que o ogro achava, Rumpelstitiskin não escolheu um dia qualquer, mas sim, o dia em que Shrek nasceu. Assim, quando acaba seu dia dos velhos tempos, o ogro descobre que nada aconteceu: ele não resgatou Fiona, não conheceu o Burro falante e nem teve seus filhos. O único modo de retomar sua vida anterior é dando o beijo do amor verdadeiro (que surpresa!).

Por mais que a história possa até parecer interessante, esse filme não se assemelha (nem um pouco) com os outros da série. As piadas são sem graça (só lembro de ter rido com o rugido do Shrek, em uma das primeiras cenas) e o 3D não chama tanta a atenção. A única coisa que compensa nesse filme é a trilha sonora (que gosto muito).

19 de junho de 2012

100 filmes


Eu resolvi fazer uma lista aqui dos 100 filmes mais aclamados pelo público! Peguei o ranking do IMDb. Eu já vi 58 deles (e espero, ainda, ver todos eles, hahaha), que coloquei em negrito.

17 de junho de 2012

Madagascar 3D - Os Procurados





Esse filme foi lançado esse ano. Assim como Shrek 4, também me decepcionei com o filme, principalmente por causa da reação que tive com os outros filmes - adorei o primeiro e o segundo. 

Na história, Alex, Marty, Gloria e Melman resolvem voltar para o zoológico em Nova York (o que eu achei estranho, já que no segundo filme eles pareciam felizes lá na selva). Para isso, mandam os pinguins para Mônaco, onde conseguiriam dinheiro para voltar, pegar o quarteto e irem todos juntos para a Big Apple. Porém, no momento de partida, percebem que os pinguins não voltariam.

Por isso, decidem ir até Mônaco nadando (eles estavam na Tanzânia), já que isso é pertinho e tentam um golpe perfeito para, ao mesmo tempo, assustar e convencer os pinguins de os levarem de volta para NY. Ok, até aí tudo bem. O exagero do filme começa quando a Capitã Chanel DuBois, do controle de animais de Mônaco, que sonha em ter um leão na sua coleção de cabeças decapitadas de animais.

A capitã simplesmente consegue fazer de tudo para pegar os animais (inclusive atravessar paredes de concreto e depois sair praticamente voando para encontrar os animais), mas, é claro, não é boa o bastante para conseguir realmente pegar quem queria. 

Para, então, escapar da francesa malvada, os nossos heróis conseguem entrar em um circo e, com o dinheiro conseguido pelos pinguins em Mônaco, conseguem compra-lo, assim que percebem aí sua única chance de voltar à Nova York

Percebendo o circo falido que compraram, e as poucas chances que têm de efetivamente voltar à seu tão querido zoológico, os animais conseguem inovar, fazendo com que seu circo passe a fazer aquilo que nenhum outro já conseguiu: o que inclui um circo voador, com argolas, também voadoras, e tudo de mais tecnológico possível (que também apareceram só na hora do show, já que no treino não tinha nada disso). É claro que, se isso fosse realidade, esse show seria até mais concorrido que o famoso cirque du solei (Alex até faz referência à eles quando diz em inovar), mas - também como dito no filme - um circo daquela maneira estaria desafiando o impossível.

Por fim, a capitã, que não desiste de modo algum, vai até os Estados Unidos atrás dos animais - e principalmente do leão, falhando, novamente, em conseguir capturá-lo. E de novo, e de novo. 

Confesso que, se tirassem a capitã do enredo do filme - ou exagerassem um pouco menos em sua caracterização, eu cairia mais nos encantos do Afrocirco e das aventuras vividas pela grupo ao longo da Europa. No meu ver, alguém tão qualificado como DuBois não falharia repetidamente como falhou.

Porém, para aqueles que vão ao cinema só para ver o Rei Julien (que, confesso, fico mais animada só de ver sua energia e entusiasmo), ou a trilha sonora (realmente, o Hans Zimmer não peca em um filme), vale a pena!

14 de junho de 2012

Splice - a nova espécie


Bom, peguei esse filme por acaso na televisão e resolvi escrever uma resenha sobre ele. 


O filme trata sobre um casal de geneticistas que trabalha para um empresa que busca desenvolver formas de vida por meio de combinações genéticas. Assim conseguiriam proteínas que contribuiriam para o desenvolvimento de medicamentos. 

Depois de muito tempo, ambos conseguiram criar dois seres que sintetizariam os compostos que a empresa queria. Depois de uma reunião com a direção, os cientistas sugeriram o desenvolvimento de uma nova forma de vida com DNA humano, mas a empresa não estava disposta a investir mais dinheiro nessa pesquisa.

Mesmo assim, os cientistas resolveram acatar tal experimento nas instalações da companhia, só para ver se tal experimento seria possível, mas sem o intuito de levá-lo adiante. Porém, o embrião se desenvolveu mais rápido que o previsto, sem ser possível evitar o nascimento da criatura. 

Ao perceber que o rápido crescimento do ser poderia os levar a aprender muito, resolveram criá-lo em segredo. Porém, com o tempo, a relação entre os cientistas e a criatura deixa de ser apenas científica e passa a se tornar pessoal.

O filme me prendeu o tempo todo, sempre me deixando curiosa e fazendo com que eu quisesse que a criatura continuasse vivendo e, ao mesmo tempo, que morresse logo. Para quem gosta de suspense e de ficção científica, vale a pena assistir!

11 de junho de 2012

Comissão da verdade



Encontrei esse vídeo que pode ajudar a explicar de um jeito fácil de entender um pouquinho da Ditadura e qual o objetivo da comissão da verdade. Acho muito legal um programa como o CQC, que atrai muitos jovens (que procuram ver o programa apenas para a diversão) e faz com que eles acompanhem, pelo menos um pouco, o que acontece na política do nosso país...

Bom, depois de ver o vídeo eu vou falar um pouquinho do que eu sei dessa Comissão. Ela foi instalada no dia 16 de Maio, após a aprovação da presidente Dilma Roussef. O objetivo desse órgão é examinar aquelas violações aos direitos humanos que ocorreram durante a ditadura militar do Brasil.Além dos crimes cometidos pelo governo militar, a Comissão da Verdade analisará tudo o que ocorreu a partir do fim do Estado Novo - governo ditatorial de Getúlio Vargas.

O grupo encarregado de analisar é formado por sete integrantes que terão dois anos para investigar os casos, com um dever de elaborar um relatório apontando as circunstâncias e os responsáveis por torturas, mortes e desaparecimentos dos presos políticos aqui. 

Apesar de procurar por responsáveis, o intuito dessa Comissão não é puni-los, já que isso feriria a Lei da Anistia, que foi feita com caráter amplo, geral e irrestrito, ou seja abrangendo tanto os presos políticos da época quanto àqueles que faziam parte do governo e, também, àqueles integrantes de luta armada contra o governo da época. 

O foco desse grupo é encontrar o que aconteceu com os desaparecidos políticos: muitas famílias não sabem, até hoje, o que aconteceu com seus entes que sumiram nesse período - o que, para muitos, é pior do que a confirmação da morte. Com o relatório sobre esses casos, há a possibilidade de localizar e identificar os corpos.

A Comissão da Verdade foi aprovada no Congresso após dois anos de muitas polêmicas e negociações. O Brasil foi o último país latino americano a colocar tal grupo em prática, o que contribuiu para que fosse pressionado a aprová-lo. Além da pressão internacional, muitos familiares de mortos desaparecidos políticos conseguiram o reconhecimento das mortes pelo Estado e passaram a receber indenizações por isso, mesmo sem nunca saber o que ocorreu com seus parentes.


Para saber mais: [1]; [2][3]

7 de junho de 2012

Perfeitos

Nome: Perfeitos
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Best Bolso


Bom, tinha falado outro dia sobre "Feios" e aqui está a continuação.

Como eu estava esperando uma história tão intrigante quanto o primeiro volume, me decepcionei um pouco. Mesmo assim, o livro é muito bom! 

1 de junho de 2012

O Corvo


Outro dia fui ao cinema assistir "O corvo", filme que faz uma suposição sobre como teriam sido os últimos dias do renomado escritor Edgar Allan Poe. No início do filmet só se fala que o autor foi encontrado semi-morto em uma praça de Baltimore - e que ninguém tinha conhecimento de como teriam sido seus últimos dias.

Então logo no começo do filme, uma mãe é assassinada junto com sua filha, em uma cena muito conhecida para os conhecedores de Poe: o mesmo ocorrido em seu conto "Os crimes da rua Morgue". Demoraram um pouco para perceber, mas assim que repararam a semelhança da cena com o conto não tiveram dúvida: contataram o escritor. 

Depois de um tempo, outro crime: o mesmo ocorrido em o Poço e o Pêndulo. Não tiveram dúvidas que precisariam de Poe para desvendar o que poderia estar acontecendo.

O filme mostra Poe como uma pessoa comum (é sério que eu imaginava que ele seria uma pessoa sombria e pirada), que precisa de dinheiro e faz de tudo para ficar com a mulher que ama. Com a onda de assassinados acontecendo, sempre ligados a suas histórias - e envolvendo Emily, sua amada -, Poe faz de tudo para resolver o que estava acontecendo em Baltimore.

Vale a pena assistir, filme nos prende o tempo todo, fazendo com que fiquemos com raiva do assassino - muito esperto, por sinal - e torcendo para que Poe consiga transportar sua imaginação para a realidade.