Nome: Círculo Rubi
Autora: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 336


Tem spoiler dos primeiros livros!

Sydney Sage era uma alquimista, isto é, fazia parte de um grupo escondido que tem como função garantir a proteção dos humanos contra o conhecimento de que os vampiros existem. Ela foi educada para desprezá-los. - e lidar com as criaturas apenas para o que fosse extremamente necessário. Qualquer envolvimento maior que isso seria punido com a reeducação. Durante uma de suas missões, porém, Sydney não só fez amizade com eles e com dampiros (guardiões que protegem os primeiros), como também se apaixonou e começou um namoro com Adrian Ivashkov, um vampiro.

E, apesar de todo o esforço para manter o namoro em segredo, ela foi pega e enviada para reeducação, que era ainda pior do que ela poderia imaginar. O amor de Adrian e Sydney foi forte o suficiente para sobreviver ao período e, unidos, conseguiram fazer com que Sydney escapasse daquela prisão.

Agora, já casados e combatendo todos os tabus, tem outras preocupações em mente. Jill, a vampira que se tornou uma das melhores amigas de Sydney e faz parte da família real vampira, foi sequestrada. E o casal não pode sair da corte vampira para ajudar, já que os alquimistas estão atrás de Sydney para envia-la novamente para a reeducação.


Realmente, é impressionante a evolução de Sydney ao longo da série. No início, ela agia exatamente de acordo com os mandamentos alquimistas e não conseguia suportar a ideia de ter que dividir o quarto com uma vampira... Agora ela era casada com um - e via que o mundo dos alquimistas era muito diferente do que imaginava.

Assim como o último volume, a narrativa é intercalada entre os pontos de vista de Sydney e de Adrian. O tanto que os dois tiveram que enfrentar para poder ficar juntos realmente os deixou ainda mais fortes: eles sabem que, se estiverem unidos, podem sobreviver qualquer desafio. Inclusive lutar contra alquimistas furiosos para salvar uma de suas melhores amigas.

Nesse livro, revemos praticamente todos os personagens que encontramos nos primeiros volumes. Entramos em contato com os Guardiões, com o grupo de Bruxas que Sydney faz parte, com o grupo que abriu a mente de Sydney, e até com os personagens de Academia de Vampiros, que deu origem à Bloodlines... Mesmo assim, confesso que senti falta de um pouco mais de interação entre eles. Eddie, por exemplo, esteve ao lado de Sydney o tempo todo, mas parecia estar em outro mundo enquanto não encontrava Jill.

De qualquer forma, essa foi, sem dúvidas, uma ótima finalização para Bloodlines! Sempre gostei desse estilo um pouco sobrenatural, e a mitologia criada por Mead é incrível! Estou louca para ler Academia de Vampiros. Sei que fiz a ordem inversa, mas não tenho dúvidas que vou sentir falta desse mundo incrível que a autora criou - e também vou adorar matar as saudades de parte desses personagens!
    


A série conta a história de Rebecca, uma profissional obstinada e de sucesso - e possivelmente um pouco maluca, que é impulsiva e resolve desistir de tudo: sua parceria em uma firma de advocacia de sucesso e seu belo apartamento em Manhattan, em uma tentativa desesperada de encontrar amor, romance e aventura em West Covina.
Ah ,o primeiro amor! Rebecca Bunch descobriu o seu na adolescência, durante um acampamento de verão: Josh Chan. Infelizmente, cada um seguiu o seu caminho e nunca mais se viram... Até que 10 anos depois o destino os uniu novamente!

Quando Rebecca estava prestes a ser promovida em seu emprego, ela encontra Josh andando na rua. Ele decidiu tentar a vida em Nova York, mas não conseguiu encontrar o que realmente queria. Por isso, decidiu voltar para sua cidade natal, West Covina, do outro lado do país - o lugar onde era realmente feliz. E Rebecca queria ser feliz. Nada fazia mais sentido do que abandonar tudo e partir para a Califórnia atrás do seu primeiro amor... né? Não é mesmo?!


Pela sinopse, me veio na cabeça o filme "Maluca Paixão", com a Sandra Bullock e Bradley Cooper: uma mulher inteligente demais que não sabe lidar com a vida amorosa. Mas não. Apesar da premissa semelhante, Crazy Ex-Girlfriend é muito melhor!

Rebecca, apesar de ser super competente na área profissional, tem um lado emocional um pouco desregulado, mas nada que a impeça de viver como uma pessoa normal (o que acontece com a Sandra Bullock no filme que eu comentei). Ela é bem impulsiva, faz tudo o que vem a mente para alcançar os seus objetivos (no caso, fazer Josh reparar e se apaixonar novamente por ela).

Crazy Ex-Girlfriend é um seriado que não me atrairia só pelo nome. Mas depois que a atriz que interpreta a protagonista, Rachel Bloom, ganhou o Globo de Ouro, fiquei curiosa para assistir. Eu costumo gostar de comédias e gostar de musicais - então, sem dúvidas, eu gostaria também da série!





O Grupo Autêntica tem vários lançamentos ótimos esse mês! Eu particularmente estou bem curiosa quanto "A Entrevista", que é uma das apostas da editora (fiquei bem curiosa com a sinopse!) e também quero saber mais sobre "Desaparecidas" (sem dúvidas é daquele tipo de livro que você só para de ler quando vira a última folha!).

Para saber mais sobre cada lançamento, clique na capa!