30 de janeiro de 2021

Mandalorian: 1ª Temporada


Você conhece os Mandalorians? Se você já assistiu Star Wars, já deve ter visto a armadura desses guerreiros. Eles surgiram no planeta de Mandalore e são raros nos dias de hoje. Depois da queda de seu planeta, a maior parte deles começou a trabalhar como caçador de recompensas. E é exatamente aqui que encontramos o nosso protagonista, Din Djarin.

O episódio piloto já começa mostrando as habilidades do protagonista, que rapidamente consegue pegar o seu alvo e, mesmo com o ambiente árido, consegue voltar intacto para receber seu pagamento. Também começamos a conhecer um pouco melhor o personagem: focado, de poucas palavras e arisco quanto aos droides que andam pelo mundo de Star Wars.


É nesse primeiro episódio que ele recebe a sua missão que dá origem a tudo isso: seu próximo objetivo é encontrar um ser de uma raça desconhecida e com cerca de 50 anos. É ele mesmo: o Baby Yoda, ou The Child/ A Criança, como ele é chamado na série.

Assim como ele derrete os corações dos telespectadores, o Baby Yoda também consegue conquistar o Mandaloriano, que passa a cuidar da criança e protegê-la a qualquer custo depois que percebe que ele tem algo de especial e o que seria feito com ela pela pessoa que o contratou.



Quem me conhece sabe como eu adoro Star Wars. Gosto desde que me conheço por gente, já assisti aos filmes muitas vezes e já até li livros sobre o que acontece nessa Galáxia muito, muito distante.

Eu confesso que quando o Episódio VIII saiu nos cinemas, eu amei ter assistido. Mas ao longo da nova trilogia acabei desanimando. Afinal, qual era o objetivo daquela trilogia? Os episódios IV, V e VI mostram a queda do império; os episódios I, II e III mostram a ascensão de Darth Vader e a queda da república.

Já a trilogia nova não me pareceu tão bem construída. Enquanto o primeiro filme parecia ser um bom início, deu a impressão de que a queda do império não foi o suficiente para pacificar a galáxia, ou pelo menos dar início à pacificação; também não percebi um oponente tão forte quanto era o Imperador, na primeira trilogia. É claro que tiveram elementos interessantes, mas isso me pareceu mal explicado.

Isso é um dos fatos pelo qual eu gosto de Mandalorian: a série se passa entre os episódios VII e VIII e, com certeza vai explicar um pouco melhor o que aconteceu nesse meio tempo e como tudo evoluiu para chegar no ponto da última trilogia, mesmo que a parte política seja um plano de fundo.


Além disso, eu também gostei do enredo da série. Traz o que tem melhor dentro do universo Star Wars e ainda permite que nós conheçamos melhor elementos que já apareceram antes - como o povo da areia e a própria cultura dos Mandalorians (que, para mim, ainda era desconhecida).

Fiquei feliz de rever outro personagem da mesma espécie do Yoda (e confesso que saí procurando várias informações sobre ela, sem muito sucesso, já que o próprio George Lucas não revelou o nome deles). Também adorei ver a personagem do protagonista, como ele se relaciona com os outros a sua volta e, mesmo não que eu não tenha tido uma impressão de que ele era uma boa pessoa no começo do piloto, percebi que ele tem um bom coração e está disposto a tudo para fazer o que acha correto.

E quando digo tudo, é tudo mesmo... Inclusive violar a ética dos caçadores de recompensa e passar a ser perseguido ao redor da galáxia por conta do ocorrido!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.