O Quarto de Jack

by - março 20, 2016


Jack passou a vida inteira trancado em um pequeno quarto com sua mãe, Joy. Ele sempre acreditou que aquele espaço era o mundo inteiro! O único contato com o exterior ocorria por meio de uma televisão - que o garoto acreditava passar apenas ficção -, por uma claraboia apontada para o céu, e pelo Velho Nick, que trazia o necessário para manter os dois vivos. 

Quando Jack completou 5 anos, sua mãe resolveu contar a verdade. O mundo era muito maior: tudo aquilo que ele via na televisão realmente existia e cabia no mundo. O Velho Nick era, na verdade, mal - ele que trancava os dois naquele quarto, e impedia que saíssem. Com a verdade, Joy elabora um plano para escapar do cativeiro, com a ajuda do filho, para que eles possam, finalmente, ter liberdade.


O filme é separado em duas partes. No início, o momento em que mãe e filho estão no Quarto. Mesmo diante das circunstâncias, Joy consegue criar uma infância feliz para Jack e impedir que saia daquele pequeno mundo com um grande trauma. Na segunda parte, vemos os dois fora do Quarto - e como Joy fez um ótimo trabalho ao criar Jack.

É incrível ver tudo pelos olhos de Jack. Ele narra, em alguns momentos, como vê o mundo. De início, separa bem aquilo que é, ou não, real, a depender do que poderia caber dentro do Quarto, ou do que ele já tinha visto antes. Depois, vemos Jack renascendo, com um mundo muito maior do que ele poderia sequer imaginar - e se adapta muito bem à essa nova realidade.

Joy, por outro lado, tem maior dificuldade de se readaptar à sua antiga realidade, principalmente ao ver os rumos que sua vida poderia ter tomado se não tivesse resolvido ajudar um estranho e seu inexistente cachorro machucado.


Sobre os atores, Brie Larson realmente mereceu seu Oscar de melhor atriz! Ela estava ótima no filme e era possível sentir a carga emocional por trás das expressões da personagem. Jacob Tremblay também estava incrível como Jack - e, para aqueles que ainda não conhecem o ator, vale a pena dar uma espiada em seu instagram, já que ele é um fofo e é bem engraçado!

Vale muito a pena assistir e conhecer essas diferentes realidades, ver como uma mesma situação pode parecer tão diferente diante dos olhos de duas pessoas. O filme toca, nos deixa aflitos, emocionados, e, sem dúvidas, saímos com um sorriso no rosto. A única coisa que me assusta é saber que essa situação não é apenas ficção, mas que existem histórias como essa... E nem sempre as condições são as mesmas que as do filme - Joy realmente foi uma heroína de conseguir sair de lá sem deixar que seu filho fosse prejudicado pela situação.

Confira o trailer!

Leia também

9 comentários!

  1. Oi Andrea tudo bem? Já tinha ouvido falar desse filme mas acabei perdendo ele do meu radar!
    Vou marcar para assistir, fico imaginando como deve ser o final! Será que eles conseguem escapar?
    Não me conte, rs
    Beijos!
    André
    Promoção Top Comentarista de Março |
    Participe da nossa outra promoção

    ResponderExcluir
  2. Eu nem sabia da existência desse filme, só fiquei sabendo por causa do Oscar. E confesso que desde o primeiro momento me chamou a atenção. Esses dias vi o livro numa livraria e pedi de presente. Espero ganhá-lo e ler o livro antes de ver o filme.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Deve ser emocionante mesmo ao terminar o filme. Infelizmente existem mesmo casos assim, e dificilmente com os mesmos finais. Quero muito ver esse filme e acredito que vá fazer isso hoje. Adorei a dica.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Fiquei toda arrepiada enquanto lia a resenha. Esse filme parece ser muito emocionante já prevejo que vou chorar horrores. Quero muitooo assistir vou dar mais uma pesquisada sobre ele.

    Blog
    Blog Miih e o Mundo Literário

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    A história é realmente de arrepiar! Eu li apenas o livro e fiquei encantada e triste com a visão de Jack sobre o Quarto e sobre a vida em geral! A mãe dele faz um ótimo trabalho na sua criação, apesar dos poucos recursos com que contava.
    O final do livro é realmente sensacional, eu adorei a história e em breve vou assistir ao filme!
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Anos atrás quando fiquei sabendo desse livro pensei em ler mas depois achei que fosse muito pesado, violento é tenso. Acabei esquecendo o mesmo, mas quando soube do filme fiquei curiosa e lendo resenhas como a sua fico ainda mais ansiosa para ver o mesmo. Gostei demais de saber sua opinião e amei a dica. Parabéns por ter prestigiado o mesmo e exposto suas impressões aqui.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  7. O filme e o livro são sensacionais. Eu aproveitei cada minuto da leitura e do filme, Emma tem uma sensibilidade grande. E colocar o Jack para narrar foi uma aposta perfeita. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    O filme realmente é sensacional! E concordo sobre a excelente atuação dos atores. Jacob é um fofo, rs. A situação que eles viveram é horrível, e infelizmente, uma coisa muito real e que acontecem mais do que imaginávamos. E retratar isso do ponto de vista de uma criança foi uma jogada de mestre.
    Não li o livro ainda, mas quero muito.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Infelizmente não consegui assistir quando o filme estava no cinema, mas quero assistir em breve. Em relação ao filme, creio que as atuações foram essenciais para criar uma história forte e emocionante. Quero ler o livro também e sei que vou me sentir tocada por um drama que infelizmente foi real para algumas pessoas no mundo.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons