O Lobo de Wall Street

by - fevereiro 27, 2014

Sempre que vejo Leonardo DiCaprio estrelando um filme, fico com vontade de assistir. Depois, descobrindo que Martin Scorsese é o diretor, não pensei duas vezes antes de colocar esse filme na lista dos meus próximos a serem vistos!

O Lobo de Wall Street conta a história de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), um corretor de títulos da bolsa de valores norte-americana que conseguiu crescer e se tornar um dos mais famosos nomes de Wall Street.

Conhecemos Belfort quando ele ainda é estagiário, com o sonho de se tornar um milionário. No momento da entrevista, já chama a atenção de Mark Hana, seu chefe, que resolve lhe dar algumas dicas: para sobreviver àquele emprego, ele precisaria de muito sexo e drogas. Porém, no primeiro dia em que Jordan começou a trabalhar, a bolsa quebra. Com isso, fica quase impossível de qualquer corretor encontrar emprego.

Jordan consegue dar a volta por cima ao arranjar emprego em uma corretora de ações no mercado paralelo, ou seja, fora de Wall Street. Nesse mercado, são feitas vendas de ações de pequenas empresas, com participação ínfimas ou nulas no mercado. Assim, os principais clientes de Belfort são pessoas sem conhecimento aprofundado do mercado, fato que garante lucro certo para Jordan e prejuízo para os acionistas enganados. E é assim que o jovem "visionário" consegue abrir sua própria empresa.

A grande ambição de Jordan faz com que sua empresa cresça rapidamente. No entanto, essa conquista só é alcançada com o consumo abusivo de drogas como a cocaína, que deixa o usuário 'ligado', nenhuma preocupação ética ou moral, e sexo com prostitutas ou mulheres interessadas em seu dinheiro. E boa parte disso acontece quando ele ainda é casado com sua primeira esposa. Afinal, desde que conseguisse dinheiro, estaria tudo ótimo!


Eu demorei para descobrir que esse filme era baseado em fatos reais e fiquei impressionada com o tipo de vida que Belfort vivia. Realmente era um homem sem limites e sem ética, pensando apenas em si próprio e em como fazer seu dinheiro multiplicar!

O filme tem quase 3 horas, mas não parece que dura tanto tempo! É incrível ver como alguém consegue ficar tão viciado em dinheiro a ponto de fazer qualquer coisa para continuar a tê-lo!

* Essa resenha também foi postada para o blog "As Leituras de Mila", no qual sou colunista.

Leia também

6 comentários!

  1. Não posso dizer que o livro é ruim. Porque ele é legal, é grande e nem senti as horas passando. Mas o filme se estende em partes desnecessárias e, sei lá, ela realmente necessário aquelas mulheres totalmente peladas com tudo aparecendo?

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu senti exatamente isso! Eu gostei do filme, ele passou rápido, mas apareceram coisas que eu não precisava ver!
      Beijos!

      Excluir
  2. Oie!
    Também assisti ao filme e adorei!
    Eu sabia que era baseado em fatos reais. Se eu não me engano, o Belford faz uma pequena participação, mas sinceramente, não sei.
    O filme é marcado por exageros, tem muita cisa que se fosse cortada, deixaria o filme com umas duas horas, mas acho que não teria o mesmo impacto.

    Beijos,
    Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Estou curiosa, agora, para saber quem ele era! hahaha
      Não teria o mesmo impacto mesmo!
      Beijos!

      Excluir
  3. Não sou assim tão aficionada pelos filmes do Di Caprio, mas acho que ele costuma estar em excelentes produções. "O Lobo de Wall Street" é um que pretendo conferir tão logo seja possível. E você tem toda a razão: saber que o filme é mais uma parceria entre o ator e o Scorsese faz com que seja ainda mais urgente assisti-lo, rsrs.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro os filmes dele, e tento sempre assistir! (: E, como também gosto do Scorsese, tinha que ver esse, né?
      Beijos!

      Excluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons