Semana Bloodlines: Alquimia e farmácia!

by - abril 21, 2015

Post feito pela Sarah, do Endless Poem.
Olá pessoal! 

Seguimos com mais um post da Semana Bloodlines e claro, não poderíamos deixar de falar sobre uma coisa do universo da série, da vida da Syd que se entrelaça com o meu. Poucas pessoas sabem (mentira, todo mundo sabe) mas eu faço Farmácia já a quase dois anos. Eu me encontrei no meio de tanta fórmula quimica, de tanta reação, de tanta manipulação dos elementos, da terra, da água, do fogo (e do ar) em prol da ciência, do conhecimento, da busca por novas curas e tudo mais. A Syd também. Sua religião é a ciência, sua fé é entregue aos elementos e é uma das coisas que eu mais gosto no universo desse Spin Off. Como eu já contei para vocês nas outras resenhas e em todos os posts relacionados ao universo dessa história, a história se entrelaça com a série principal, Academia de Vampiros, mas não tem muito a ver. A gente consegue muito ler e se apaixonar por Bloodlines sem ter lido VA. E isso é muito verdade porque eu não li VA ainda (não me mata, Ana Luiza!) Bom, vamos contar um pouquinho da história da Farmácia pra vocês, um pouquinho dessa arte alquimista e desbravadora dos elementos em pleno século XXI (sou uma bruxa, será?)

"A história da farmácia remete à preocupação com a saúde, a doença, aos primeiros remédios, ao aparecimento dos medicamentos e ao surgimento do farmacêutico. Apresenta  vários períodos e cada um as suas inovações. Os textos antigos relatam o emprego das plantas e de substâncias de origem animal para fins curativos, desde o período Paleolítico ou idade da pedra lascada.  O mais antigo documento farmacêutico conhecido é uma tabuinha sumérica (tabela de argila) executada no terceiro milênio (2100 a.C.), contendo quinze receitas medicinais, descoberto em Nippur.

O papiro mais importante da história da Farmácia é o papiro Ebers escrito por volta de 1500 a.C., espécie de manual destinado aos estudantes, que revela segredos de medicação. Esta verdadeira farmacopéia registra abundantes informações, contém 811 prescrições e menciona 700 remédios para distintas doenças, de mordida de serpente à febre puerperal, abrangendo uma grande variedade de temas médicos.

Na antiguidade, durante a busca dos alquimistas por formas de fabricar ouro e o elixir da vida eterna, eles acabaram por produzir óleos e resinas que foram considerados os primeiros remédios da humanidade. Muitos anos depois, surgiu a referência à botica, que era apenas uma caixa de madeira na qual se levavam os remédios. A origem das atividades relacionadas à farmácia se dá a partir do século X com as boticas ou apotecas, como eram conhecidas na época. A figura do apotecário ou boticário aparece nos conventos da França e Espanha, desempenhando o papel de médico e farmacêutico. Neste período, a medicina e a farmácia eram uma só profissão.

A evolução e desenvolvimento da farmácia, como atividade diferenciada, só aconteceria na Alexandria após um período de instabilidade marcado por guerras, epidemias e envenenamentos. A farmacologia ganhou grande impulso, principalmente no tratamento dos soldados abatidos nos campos de batalha. E a profissão farmacêutica separa-se da medicina ficando proibido ao médico ser proprietário de uma botica.

O grego Hipócrates marcou uma nova era para a cura quando sistematizou os grupos de medicamentos, dividindo-os em narcóticos, febrífugos e purgantes. Galeno escreveu bastante sobre farmácia e medicamentos, sendo considerado o "Pai da Farmácia". Sua grande contribuição foi a transformação da patologia humoral numa teoria racional e sistemática, em relação à qual se tornava necessário classificar os medicamentos.


Durante a 1ª Guerra Mundial (1914 -1919), desenvolve-se a terapia antimicrobiana com avanços significativos em quimioterapia, antibioticoterapia e imunoterapia. E no período da 2ª Guerra Mundial (1939 -1945), começaram as pesquisas sobre guerra química que resultaram no descobrimento dos primeiros anti-neoplásicos. As últimas décadas do século passado foram decisivas no descobrimento de fármacos a partir da aplicação de conceitos de genética molecular, genômica, proteômica e informática. A biotecnologia e a tecnologia farmacêutica emergiram como poderosos instrumentos para romper com os limites terapêuticos estabelecidos."

Assim como a Sydney, eu também amo a ciência. Eu também adoro trabalhar como os alquimistas, descobrindo fórmulas importantes para a humanidade. Claro, eu não caço vampiros, não faço tratos com dampiros, não estou apaixonada por um, o que é uma pena. Mas a base que a Richelle utiliza para trazer esse universo para os livros para mim é muito mágica! Obrigada, Ri, por difundir a ciência na sua série e mostrar ao mundo que a fantasia pode sim, estar entrelaçada com a realidade!

Leia também

14 comentários!

  1. Acho super interessante essa parte da história da Farmácia que podemos associar ao Alquimismo. Sempre foi algo que me fascinou, e foi muito bom ler o post e ter isso um pouco mais esclarecido. Muito interessante a autora colocar esse tema dentro da sua trama, enriquece ainda mais o livro. Tenho uma amiga que faz Farmácia também, e ela o que faz, mas enlouquece com todas as fórmulas e cálculos rs

    ResponderExcluir
  2. acho muito legal eles misturarem esses elementos na história da Sidney!!!!isso deixa a história muito mais interessante!!!!

    ResponderExcluir
  3. So em pensar em todas as formulas e calculos minha cabeca doi ;)
    Mas os alquimia e algo que me chamou atencao, pelo fato de ser algo "real" numa historia de vampiros..

    ResponderExcluir
  4. Como assim você ainda não leu VA ? Corre para conferir, agora u.u Sempre gostei da Syd e admirei seu trabalho e admiro o trabalho dos farmacêuticos, vocês são incríveis! Então essa série irá me agradar ainda mais por gostar do Adam apenas não sendo par romântico da Rose, cada vez mais curiosa para saber mais sobre essa série incrível!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Achei muito interessante essas historias, vou tentar procura pra eu ler

    ResponderExcluir
  6. Assunto velho essa fábula de fabricar ouro, mas é legal ver a evolução dos alquimistas até a fabricação de remédios hoje em dia. Acho interessante o tema e nos livros é legal de ver como os aspectos científicos influenciam a vida das duas raças. A composição das tatuagens é o que mais gosto.

    ResponderExcluir
  7. Legal essa comparação entre a ficção e a sua realidade, pois são mundos diferentes que acabam sendo iguais no assunto "farmácia" seja com magia ou sem.

    ResponderExcluir
  8. Amo o jeito como a Richelle Mead escreve, junta mitologia vampiresca com ciência ( apesar de não curtir muito ciência ) mas fica tudo tão crível!!!
    Adorei saber mais sobre o assunto *-*

    ResponderExcluir
  9. É bem interessante esse tema sobre a farmácia, conhecer de verdade como surgiu essa profissão, mexer com cálculos e fórmulas nunca foi muito o meu forte, mas eu admiro quem estuda Farmácia não é uma coisa fácil de se fazer, você criar um medicamento que pode contribuir pra humanidade, depois de tanto esforço deve dar um baita orgulho no coração.

    ResponderExcluir
  10. Amo a série, já li todos os livro. Não vejo a hora de lançar o último no Brasil. Participando da promoção. Bjos :*

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Achei bem legal conhecer mais sobre a historia da farmácia, também gosto muito quando os livros trabalham a farmácia dentro das suas mitologias, acaba que trazem para mais perto da gente deixando um ar de possibilidade, uma das coisas que mais gostei do livro desenho lírio de ouro e lindo !!!

    ResponderExcluir
  12. É interessante ver a evolução dos tratamentos, mas a parte dos experimentos para transformar outros metais em ouro é a mais divertida... Enfim, gostei da ideia da autora inserir todo esse universo de pesquisas farmacêuticos na série.

    ResponderExcluir
  13. Uma das coisas que eu mais gosto nessa série é a alquimia, pois é um assunto muito vasto e que eu adoro.

    ResponderExcluir
  14. Adorei esse post. Confesso que nunca fiz esse link entre alquimia e farmacologia. E não é que tem tudo a ver mesmo?!?! kkkkkk
    Não sabia que a história da farmácia era tão antiga assim. Vivendo e aprendendo.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons