Confiar ou não?

by - maio 24, 2010


Dentre vários fatores, a confiança é fundamental para a construção e manuntenção de uma sociedade. No entanto, a transformação desta exige mudanças nas formas de confiança existentes.

A falta de confiança nos outros inviabiliza a vida em sociedade. Para a existência de uma organização, o ser humano precisa confiar no governo e nos demais homens. Em sociedades mais simples, a confiança é baseada na vida em comum das pessoas, ou seja, aqueles que frequentam os mesmo lugares, têm os mesmo costumes, têm a mesma cultura acabam desenvolvendo uma confiança mútua.

Nos dias de hoje, no entanto, a vida social nos países mais desenvolvidos é tão complexa que não é possível manter a confiança baseada apenas na cultura. Com a industrialização e a globalização, as relações entre empresas, por exemplo, são amplamente documentadas, para que se tenha prova caso uma das partes não cumpra com a palavra. Desse modo, a confiança aparece apenas de um contrato, sendo, assim, artificial.

Entretanto, a confiança não mudou nas relações pessoais particulares. Não é possível viver desconfiando de parentes e amigos. A confiança natural rege relações como a amizade, o casamento, a família e, mesmo sem um contrato, é possível depositar sua confiança no outro.

É possível perceber, então, que, mesmo com mudanças drásticas na sociedade, a confiança em relações particulares continua igual. A confiança artificial, criada, com sucesso, como forma alternativa para relações comerciais, não é aplicada em âmbito particular, já que a insegurança e a desconfiança não podem ser a base das interações que se dão nesse espaço.

Leia também

0 comentários!

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons