Oblivion

by - maio 20, 2013

Como vocês sabem, eu adoro distopias. Como não era de se estranhar, ao ver o trailer de "Oblivion" já fiquei animada. Uma distopia, com Tom Cruise e Morgan Freeman? Não poderia perder! O filme é bom, mas é muito bizarro. Pois é. É legal, mas precisa ter cabeça para aceitar tudo aquilo.


A Terra foi invadida. Os alienígenas explodiram nossa lua, causando terremotos e problemas ambientais que já destruíram todo o nosso globo. Depois, invadiram a Terra. Os seres humanos, com o intuito de destruí-los, soltaram todas as ogivas nucleares. Ganhamos a guerra, mas perdemos o planeta. Todos foram tranferidos para a Tet, um centro espacial, e, depois, aos poucos, mandados à Titã, uma das luas de Saturno.

Jack Harper foi um dos únicos seres humanos que permaneceu na Terra. Ele teve sua memória apagada e foi designado para ficar com Vika, e os dois teriam que cuidar dos drones que ficaram na Terra para capturar os alienígenas que permaneceram no planeta. Ao mesmo tempo, deveriam cuidar dos aparelhos que capturam a água dos oceanos para transferi-las para Titã.

Jack, ao contrário do que deveria, é um curioso. Adora ler sobre como era a vida na Terra antes da guerra e, sempre que encontra um livro ou alguma relíquia, guarda para si. Achou um lago, construiu uma casa e deixa tudo o que encontra lá. Seu cantinho é seu local de repouso - e o lugar que ele mais gosta de ficar. Constantemente tem sonhos do que ocorria antes da guerra - sonhos que mais parecem memórias e em que vê constantemente a mesma garota. O casal será transferido para Titã dentro de duas semanas. É tudo o que Vika quer. E Jack quer que esse tempo demore muito para chegar.

Um belo dia, durante sua jornada, Jack ouve uma explosão. Não pensa duas vezes antes de ir até o local e ver o que aconteceu, mesmo que isso contradisesse seus superiores. Chegando lá, Jack percebe que há sobreviventes. Têm vários seres humanos deitados dentro de caixas, como se estivessem dormindo. E, surpreendentemente, em um deles está a mulher que vê em seus sonhos. Quando os drones chegam e começam a matar todos os que estavam dentro da caixa, Jack se coloca na frente e impede que matem a moça.

É então que o filme realmente começa. Com a garota que aparece em seus sonhos em sua frente, em carne e osso, Jack começa a ficar com dúvidas. Quem era ela? O que ele era dela? Porque ela estava ali? Vika, por sua vez, percebe que existe alguma coisa entre eles - e começa a ficar com ciúmes.

No dia seguinte, quando a garota, Julia, quer voltar para sua nave e escutar a caixa-preta, ela e Jack são capturado pelos aliens. E seu mundo nunca mais será o mesmo. Tudo o que acreditava está prestes a ser colocado em prova.



O filme é bem interessante. Como eu adoro distopias, sabia que ia gostar. No começo do filme fiquei inconformada com a tecnologia que foi desenvolvida em tão pouco tempo (2077), afirmando que isso seria impossível. Depois que assisti mais um pouco o filme, entendi o que aconteceu - e fez sentido a tecnologia ter avançado tanto.

Ficamos um tanto surpresos a partir de um determinado ponto do filme, e realmente confusos quanto ao que está acontecendo e o motivo disso tudo. E, quando tudo é explicado, o filme realmente se torna surpreendente! Ficamos com muita vontade de entender - e inconformados com o que realmente aconteceu no nosso planeta. Para aqueles que gostam de se aventurar, eu recomendo!

Leia também

4 comentários!

  1. Ainda não vi esse filme, Deia. Dica anotada! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vê se ainda está no cinema! Acho que vai demorar um tempinho para lançar em dvd!

      Excluir
    2. Aqui não tá passando, nem sei se tem previsão. Macapá é mto atrasada do resto do Brasil com relação à filmes... =(

      Excluir
  2. Eu tinha visto o trailer deste filme e gostei bastante. Não sabia que já tinha saído no cinema! Será que eu terei cabeça para aceitar tudo? Não sei...

    Abraços

    gláucia - booklover.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons