Eu Sou a Lenda

by - março 21, 2013


A cura do câncer foi encontrada. Pena que, ao invés de ser uma boa notícia, tal cura dizima a maior parte da população do planeta. Em Nova York, após perder sua família, Dr. Robert Neville (Will Smith) é o único sobrevivente - e sonha em encontrar a cura para o mal que assombrou a população e, também, em encontrar outros seres humanos saudáveis.

Assim, Dr. Neville sai todo dia de casa, acompanhado de sua cachorra Sam (um pastor alemão muito fofo!), à procura de outros sobreviventes e de modos de se alimentar. À sua volta vê uma Nova York completamente abandonada, com plantas crescendo em todo canto e animais selvagens andando pela rua. 

Porém, quando o relógio toca, Neville deve voltar para casa. A noite, os seres humanos infectados - que agem com força e velocidade sobre humana - saem de seus abrigos e atacam qualquer um que estiver em seu caminho. 

Em casa, Neville, que é imune à infecção, realiza testes com cobaias contaminadas. E, em um desses testes, percebe melhoras. Para resolver o problema, deve testar em um ser humano infectado - e ver se encontrou efetivamente a cura.

Em uma de suas missões, Sam foi infectado (uma das cenas mais tristes do filme, na minha opinião). Depois de três anos sozinho, Neville finalmente encontra outros sobreviventes: Ana (interpretada pela brasileira Alice Braga) e seu filho Ethan, que procuram o cientista após ouvir seu chamado no rádio. Descobre, então, que não é o único imune e, ainda, que existe uma comunidade de pessoas intactas. 


Como vocês sabem, adoro distopias (ah, vá)... E não tem como falar que eu não gostei desse filme. Eu adorei. Não consigo imaginar como eu ficaria se estivesse na mesma condição do Dr. Neville - que passou 3 anos vivendo apenas na companhia de um cachorro. Provavelmente ele só conseguiu se manter são nesse meio tempo graças à Sam e à vontade de encontrar a cura. Eu provavelmente enlouqueceria - não aguentaria passar tanto tempo nessa situação. E não sei como escaparia dela. 

De qualquer modo, o filme é recomendadíssimo. Vale a pena assistir (pelo menos uma vez). É impressionante como Will Smith consegue nos segurar com sua atuação durante mais da metade do filme. Ficamos angustiados com sua situação, impressionados com seu auto controle. ele é realmente ótimo. 

Leia também

6 comentários!

  1. Eu AMEI esse filme tbm (não sei se foi pela distopia, mas enfim, hahaha). Curto histórias com clima de destruição e sobrevivência.
    O Will Smith prova que arrasa em qualquer situação. E concordo, não sei se eu conseguiria sobreviver. Primeiro pq sou super medrosa e só de escutar todo aquele barulho na hora de dormir... Ai... Tenso!
    A única coisa que não gostei muito foram os efeitos nos seres infectados (seriam zumbis?). Todo clima de suspense que senti enquanto eles não apareciam sumiu rápido demais qdo vi os efeitos nada convincentes. Ainda assim, acho que vale a pena ser visto e revisto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei esses infectados bem parecidos com zumbis... Só acho que zumbis conseguem sair na luz do dia, não conseguem? Eu achei as pessoas infectadas meio falsas, mas não achei que estragou o filme, nem tão ruins os efeitos! Amo histórias de destruição e sobrevivência! ahhaha

      Excluir
  2. Esse filme é foda demais vei. só não gosto por que o cachorro morre :((
    Parabéns pelo blog, beijo.
    http://humorlimao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Também gostei muito do filme! Chorei na parte em que a cachorra é infectada... Vale a pena assistir!

    www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que todo mundo chora nessa hora! É muito triste!

      Excluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons