Cinquenta Tons de Cinza

by - outubro 17, 2012

Nome: Cinquenta Tons de Cinza
Autor: E.L. James
Editora: Intríseca


Bom, o que falar desse livro? Eu não fazia a mínima ideia do que se tratava o livro no começo de seu sucesso. Então começaram a surgir resenhas e resenhas de pessoas que se apaixonaram pelo livro, que queriam o Christian Grey para elas e tal... Mas o livro não fala de sadomasoquismo? Fiquei um pouco sem entender essa paixão toda. Foi então que li uma resenha (aqui) que contrariava 99% das que eu já tinha lido – e, finalmente, alguém que não queria ver nem de perto um cara como o Christian Grey. Eu, curiosa que sou, resolvi ler o livro. A repercussão foi tanta que era difícil não resistir a ele. 



Então, essa é a história: Anastasia Steele, de 21 anos, uma estudante de literatura, vai entrevistar Christian Grey, dono de uma empresa milionária. Ela, então, ao ver o homem fica impressionada com sua jovialidade e sua boa aparência – e acontece algo que nunca havia sentido antes: ela se apaixona. Ele, ao olhar para ela, já se sente atraído (principalmente depois dela ruborizar e morder os lábios algumas vezes.

Gente, só vou fazer um comentário. A autora é extremamente repetitiva. Ana não para de morder os lábios, ruboriza o tempo todo, fica debatendo sua consciência com a deusa interior e ainda tem muita coisa que você repara ao longo do livro. Eu entendi o porquê as pessoas disseram que a autora não escrevia tão bem.

Então, continuando, Grey descobre onde ela trabalha e eles marcam um dia para ele ser fotografado para completar a entrevista. Dia vai, dia vem ele, sentindo-se extremamente atraído pela mordida nos lábios dela,  a convida para a casa dele.

Lá, apresenta Ana ao “quarto vermelho da dor”, um quarto em que ele realiza seus desejos. Pois é, gente, ele é sadomasoquista. Ana, apesar de estranhar tudo aquilo, cede ao bilionário (porque está apaixonada, não por causa do dinheiro, tá?). E então que começamos a ler, com os mínimos detalhes, a vida sexual dos dois protagonistas.


Sinceramente, acho muito difícil alguém ceder tão facilmente quanto a protagonista. Acho que ela ficou mais tentada pela beleza, pelo dinheiro (ele a levou para passear de helicóptero e, ainda, deu um macbook pro para ela) e pelo sexo (sim, ele usa isso como arma para convencê-la). Por mais que ela gostasse de ter um cara lindo e rico atrás dela, não acho que compensaria praticar o sadomasoquismo e obedecer qualquer coisa que ele a mandasse fazer.

Mesmo assim, eu gostei do livro. Tirando as (muitas) cenas de sexo - muitas delas desnecessárias -, o livro mostra um romance (bem parecido com Crepúsculo livro que a autora se inspirou). Talvez por isso (e pelo sexo) que tantas mulheres ficaram fascinadas com o livro. Um homem lindo, maravilhoso e bilionário que se sente atraído por uma menina que não tem nada de mais (e que se acha sem graça) e faz de tudo para convencê-la a ficar com ele  - mesmo que isso implique assinar um contrato em que ela se mantenha submissa.

Então, antes de recomendar o livro, devo dizer que para lê-lo, a pessoa não pode se sentir desconfortável quando o assunto é sexo (porque é muito detalhista nesse aspecto). Recomendo, então, para quem gosta de um romance como Crepúsculo, entre duas pessoas que dificilmente se relacionariam na vida real. 

Leia também

2 comentários!

  1. Li a saga inteira.Sim,eu li.Curiosidade.É isso! Eu queria saber o q iria acontecer.Chega num ponto do Cinquenta Tons q vc ñ lê as partes de sexo.É tediante,dps de um tempo.Vc simplesmente as pulas
    Não entendo pq falam tanto desse livro.É um livro simples,louco e de pouca qualidade.Não sei dizer pq me apaixonei pela saga,como ñ sei dizer pq gostei de Crepúsculo(filmes,livros eu acho um lixo).A parte q me deu odio,é como a Ana se entrega.A perda da virgindade é tão importante na vida de uma pessoa,ainda mais uma mulher.No livro,ela simplesmente perde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei de Crepúsculo.
      Já quanto à 50 Tons, achei muito forçado. Alguém como Ana não perderia a virgindade dessa maneira. E alguém como Grey não se apaixonaria tão facilmente por uma menina que ele conheceu durante uma entrevista de poucos minutos, né?
      Beijos!

      Excluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons