Comê-los ou não comê-los

by - janeiro 29, 2011

Texto de Vivien Lando
(Folha de S. Paulo, 29/01/2011)

UMA AMIGA RUSSA ouviu o seguinte: quem ama os bichos não os come, e quem os come não pode dizer que os ama. Assunto delicado para botar regra tão impiedosa, ainda mais vindo de um país gelado como aquele e onde a defesa dos animais e da natureza em geral começou a ganhar força após o fim do comunismo.

Quando morei lá fui avisada de que não poderia viver só de bananas (palavras deles) a uma temperatura de menos 15ºC. Mas persisti. E sobrevivi.

No Brasil o clima é outro, porém a maioria adora uma carne, se possível diária. Curiosamente, desobedecendo as estatísticas mundiais, cerca de 70% dos vegetarianos e veganos daqui o são por convicção, por ética, por amor aos animais e por não querer que suas refeições sejam resulttado de chacinas.

É curioso que na dieta koscher, dos judeus, exige-se que os bichos sejam sacrificados sem sofrimento, a fim de que esta dor não seja transmitida para o consumidor. Ou seja, são conhecimentos muito antigos a orientar práticas eternas. De qualquer forma, não deixem de comer carne vermelha e branca.

Esta distinção de cor na verdade só existe quando se fala em termos de preservação de saúde (a humana), pois tanto uma vaca quanto uma galinha ou uma truta são iguais em direitos de sobrevivência e dignidade. E quem já conversou com uma avestruz e sua tranquilidade pré-histórica jamais a colocaria num prato. Pelo menos é o que se imagina.

Claro que vão argumentar que os próprios animais se devoram entre si, e aí? Não dá pra esquecer que obedecem a uma cadeia alimentar minuciosa e autopreservante, enquanto nós armazenamos em nossos açougues e granjas cadáveres para vários meses.

Numa atmosfera bem de guerra, aliás, como se amanhã de manhã fossem desaparecer, sob a ameaça do aquecimento global, as pastagens infinitas que ajudaram a piorá-lo. Ou como se os galináceos do mundo todo e os patos e marrecos e perus forrem sair por aí bicando um por um quem já os degustou.

E como se gansos franceses fossem finalmente se recusar peremptoriamente a receber um alimento forçado através de funil goela abaixo para virarem um foie gras daqueles.

Coisa que eles já deveriam ter feito há muito tempo!

Leia também

1 comentários!

  1. dá pra entender um pouco dos dois lados. Gostar de animais não significa q eu não possa comer alguns desses animais, acho q ninguém escreveria na internet hj se tivéssemos comido apenas vegetais ou derivados de animais (leite, mel....). Esse é um assunto interessante para debates mais demorados

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante! Obrigada por comentar, e aproveite sua visita!

* Os comentários são moderados, então dependem de aprovação para serem publicados.

O conteúdo do blog foi escrito e criado por mim, salvo quando sinalizado. Se for copiar, me avise e coloque os devidos créditos. As imagens e fotos, se não tiradas por mim ou criadas para o blog, foram retiradas, em sua maioria, do Pixabay. Caso seja de sua autoria, me avise para que eu coloque os devidos créditos!

Licença Creative Commons